Ads 330x60px

Subscribe:

sábado, 9 de julho de 2011

Resenha: A Menina que Roubava Livros


Livro:
 A menina que roubava livros.
Autor(a): Markus Zusak
Editora: Intrínseca
N° de págs.: 382

Quanto a Morte conta uma história,
você deve parar para ler.

Liesel Meninger vivia em plena Alemanha nazista, o pobreza e a miséria estavam por todos os lugares até a linha do horizonte. A mãe de Liesel não tinha condições de cuidar dela e do irmão mais novo, só lhe restava uma alternativa: entregar os seus filhos para um casal que cuidariam das duas crianças, com uma pensão que lhes seria paga pelo governo. Mas na noite em que Liesel estava indo de trem até a sua nova casa, um acontecimento inesperado muda a vida da pobre garota. Seu irmão mais novo morre dentro do trem, possivelmente de frio ou de fome. Ao desembarcar do trem ao lado de sua mãe e do corpo de seu irmão, Liesel desembarca em um cemitério, para que o corpo de seu irmão seja devidamente enterrado. O menino é enterrado sob o chão branco, branco como as nuvens do céu em um dia ensolarado. A menina não acredita que seu pobre irmãozinho tenha morrido, tomada por um acesso de emoção ela começa a cavar onde o fora enterrado. Ela para assustada ao se deparar comum quadrado preto, que acidentalmente caiu do bolso de um jovem, provavelmente ajudante do coveiro. Liesel recolhe o livro sem que ninguém perceba. Mas também sem perceber ela tinha cometido o seu primeiro roubo, um livro.

Liesel foi adotada por uma família pobre, moravam na rua Himmel, n° 33 o Sr Hans Hubermann e Sra Rosa Hubermann. Esses dois estranhos eram a nova família de Liesel Meninger. A admiração da menina pelo o homem dos olhos de prata foi instantânea. Já com a mulher de pele de papelão amassado essa admiração demorou um pouquinho mais para chegar. Liesel recebeu um quarto só para ela, até pelo fato de seu irmão ter morrido, mas havia um problema no quarto: eram duas camas para uma só pessoa. Esse problema, que passaria despercebido por qualquer outra pessoa, era o causador de todos os pesadelos da menina. Em uma certa noite o pai de Liesel escutou os gritos da menina e a encontro em seu quarto aparentemente tendo uma pesadelo, ele acordara a menina e perceberá que ela tinha feito xixi na cama. A menina entrou em desespero com medo da reação do pai, mas a única coisa que ele fez foi leva-lá para o banho e lavar o lençol para que a mãe não percebesse o que tinha acontecido ali.

Toda noite o pai de Liesel acordava-lhe de seus pesadelos e li para ela. Todas as noites, aquilo já tinha virado um hábito. Assim começa a paixão pela leitura. Liesel tinha um amigo Rudy Stenneir, o menino era louco para lhe dar um beijo mas ela nunca deixava. Sempre acompanhava a menina quando ia para a parte nobre da cidade para entregar as roupas que sua mãe lavava.

Um dia Liesel fora com seu pai para uma fogueira onde os nazista queimariam centenas de livros. A menina tentava bolar um plano para furtar um único livro que fosse. Mas não teve jeito a fogueira foi acesa, todos os livros queimaram aparentemente. Depois da agitação da fogueira a menina começa a procurar pelo menos um livro que tenha sobrevivido ao incêndio, até que encontra. Liesel esconde o livro dentro da blusa. Só depois do furto é que a menina percebe que alguém escondido nas sombras à vira furtar o livro.

Um problema batia a porta dos Hubermann, esse problema andava, falava, comia, e o pior de tudo era judeu. Você já pensou o que aconteceria com os Hubermann caso o judeu que eles escondiam em seu porão fosse descoberto ? Pois é, esse era o medo de toda a família. Liesel vê em Max um grande amigo. Até o dia em que ele parte da casa do Hubermann. Liesel descobre que a pessoa que vira quando ela furtou o livro da fogueira era a mulher do prefeito, só que ao invés de denuncia-la  a mulher do prefeito abre as portas de sua biblioteca particular para que a menina possa desfrutar de seus inúmeros livros. Liesel não se contenta em só ler os livros, ela furtava os livros também.

A guerra que vinha se espalhando pela Alemanha, se aproximava cada vez mais da rua Himmel. Um dia a guerra atinge a em que Liesel morava, nesse dia a menina conhecia as consequências de uma guerra para as pessoas inocentes.

Uma última nota de sua narrada:
Os seres humanos me assombram.

Eu tentei fazer uma resenha pequena mas não consegui. O livro é ótimo e quando comecei a resenhar as palavras foram brotando e não paravam de fluir. Eu super recomendo a leitura desse livro, foi com certeza um dos melhores livros que eu já li. Ah e se não ficou claro na resenha a narradora do  livro é a morte.


Gente espero que tenham gostado. Semana que vem tem mais, ah não deixe de comentar, a sua opinião é mega importante!!! Um grande beijo a todos!!!

2 comentários:

L.F.Matos disse...

Eu já li ele! É muito legal... só tem uma coisinha no livro que eu não gostei muito, que é o cenário da guerra. Fora isso, o livro é muito bem escrito, é muito bom, recomendo. Até dei uma choradinha no final U--U' que é emocionante '---'
- Luiz Felipe Matos

Haruhi x) disse...

Pareceu que tudo o que você escreveu foi uma sinopse. O livro é bom mesmo.

Postar um comentário