Ads 330x60px

Subscribe:

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Ressenha:Papisa Joana - Donna Woolfolk Cross



Papisa Joana 
Autor: Donna Woolfolk Cross - romance histórico
Numero de paginas: 496 páginas.
Editora: Geração Editorial
Lançamento: 2009


No ano 853 A.C., após ter-se tornado um estudioso, curandeiro e professor de renome, João Anglicuse ascendeu à posição mais elevada da terra: Papa da Igreja Católica. Dois anos depois, foi apedrejado até à morte por um segredo que se tornaria uma lenda. João Anglicus era, na verdade, uma mulher - a única mulher alguma vez ordenada Papa, o único Papa que alguma vez concebeu um filho.





Quem foi Papisa Joana?
A Papisa Joana teria sido a única mulher a governar a Igreja durante dois ou três anos, segundo uma lenda que circulou na Europa por vários séculos. É considerada pela maioria dos historiadores modernos e estudiosos religiosos como fictícia, possivelmente originada numa sátira anti-papal. A lenda teve origem no final do século IX, mas outros situam o papado de Joana até dois séculos e meio antes, depois da morte do Papa Leão IV, coincidindo com uma época de crise e confusão na diocese de Roma. Segundo um cronista do século XIII, Joana ocupou o cargo durante dois ou três anos, entre o Papa Leão IV e o Papa Bento III (anos de 850 e 1100).
A história possui várias versões. Existem muitas controvérsias . Alguns historiadores tornaram-se partidários de sua veracidade, outros a contestaram como pura invenção. Alguns céticos afirmam que o mito pode ter surgido em Constantinopla, devido ao ódio da Igreja Ortodoxa contra a Igreja Católica. O objetivo seria desmoralizar a igreja rival.
Outra vertente é de que este papa seria, na verdade, um eunuco que, por ser castrado, não foi eleito, mas antes rotulado de «mulher».
Outra hipótese é que, no século XIII, o papado tinha um grande número de inimigos, especialmente entre a Ordem dos Franciscanos ou a dos Dominicanos, descontentes com as diversas restrições a que eram submetidas. Para se vingar, teriam espalhado verbalmente a história da papisa.
Barônio considera a papisa um monstro que os ateus e os heréticos tinham evocado do inferno por sortilégios e malefícios. Florimundo Raxmond compara Joana a um segundo Hércules enviado do céu para esmagar a Igreja romana, cujas abominações tinham excitado a cólera de Deus. Contudo, a papisa foi defendida por um historiador inglês chamado Alexander Cook.

 Papisa Joana conta a historia de superação de uma mulher em busca de conhecimento desafiando o mundo dos poderosos no século IX  a  Idade das Trevas,alias  uma época  onde o conhecimento é privilegio dos homens.
Aprender a ler e a escrever por si só já foi um desafio para a papisa pois no seu tempo este conhecimento era apenas privilegio dos homens para tal feito começou a receber educação do  seu irmão mais velho, Matheus, começou a ensiná-la a ler, escondido dos pais,posteriormente teve que substituir o seu irmão numa escola para rapazes de elite (não irei dizer o porquê) criada em uma ambiente difícil criada no seio de uma família de crenças religiosas fortes, Joana aprende com a mãe o melhor do paganismo e com o pai o pior da Igreja Católica,após uma determinada idade os seus amores ilícitos com um homem casado despertam rivalidades fortes. Joana passou a viver em um monastério, onde aprendeu com um monge as artes medicinais. 
Isto é apenas um pouco da historia que é muito interessante e emocionante,já há um filme da mesma produtora que fez “O Nome da Rosa” . O roteiro é baseado no livro da escritora Donna Woolfolk Cross, que vai figurar nos créditos do filme como “consultora criativa”. Donna também assistiu às gravações, que ocorreram na Alemanha e no Marrocos. A estréia do filme foi em outubro de 2009 ano na Europa, e nas telas brasileiras a partir de dezembro.

Não sei se sabem mais tenho uma queda por livros históricos fui na livraria para comprar um outro livro e quando vi saí com "Papisa Joana".É bem diferente dos livros que resenho,mas nem por isso é pior papisa Joana é um ótimo romance e eu recomendo.

Ótimo

3 comentários:

Joelma Alves disse...

O livro parece ser bem interessante, bem o meu estilo.
Adoro romances histórico e teorias da conspiração sobre a Igreja Católica!!!

=*

Nicholas disse...

Nossa, achei super interessante o enrendo!
A capa confesso que me assustou um pouco hehe
Não sabia que tinha um filme do mesmo, mas como gosto de ler antes pra assistir, ele vai ter que esperar.
Também gosto de livros históricos, apesar de não ler mts.
bjs,
tudo por um livro.

Amanda Cristina disse...

Gostei muito de sua resenha, mas sou suspeita para falar, já que de longe sou fã de história! rs Uma dica realmente muito boa e que já anotei aqui! :)



Beijinhos, Amanda Cristina.
www.primeiro-livro.com

Postar um comentário